Dilma lá!

 

Dilma será a 36ª presidente do Brasil

No último domingo, Dilma Rousseff (PT), candidata da situação, foi eleita presidente do Brasil, a terceira mulher a ocupar o cargo máximo do governo, no Brasil. Lembremos que a primeira foi Dona Maria I, que governou oficialmente até 1816. A segunda foi a Princesa Isabel, filha do então imperador Dom Pedro II.

Mas foi a primeira eleita através de votos, em um sistema democrático. E não foram poucos, ela recebeu ao todo 55.752.529 votos, 56.05% do total. Do primeiro para o segundo turno, a candidata do PT somou mais 8.101.095 votos. Não foi a maior transferência, mas foi o suficiente para elegê-la

 

Agnelo Queiroz (DF) foi o único governador eleito do PT no 2º turno

A vitória já prenunciada pelas pesquisas deixou a surpresa dessas eleições para um outro número, o de abstenções. Ao todo, 29.197.152 eleitores não foram as urnas nesse domingo, 21,50% do total, um aumento de 15,71% em relação ao primeiro turno. Muito está ligado ao feriado, é certo, mas não pode-se esquecer da desilusão política pela qual passa o povo brasileiro (isso será assunto para o post do final da semana!).

Falemos da vitória nas urnas. Dilma foi vencedora em 15 Estados e no Distrito Federal. Foi no Amazonas a maior vitória, com 80,57% do total, a menor diferença, mas ainda com vitória da petista, foi no Pará, com 53,20% dos votos. E uma coincidência: em ambos os Estados, o governador eleito não fazia parte da coligação regional do PT.

A candidata eleita não deve se enganar, a sua diferença para o segundo colocado foi de apenas 12,10 p.p. Uma diferença muito pequena, e que não trará muito apoio popular para o seu governo. Aliás, apoio popular deverá ser um dos maiores problemas do governo Dilma. E talvez o único jeito de reverter essa situação é continuar com a associação de sua imagem a do presidente Lula, o mais popular desde o regime militar.

Alias, é bem provável que a presença do Presidente Lula seja tão ativa, que alguns chamariam Dilma de testa de ferro. Afinal de contas, nomes mais fortes, como o do senador mineiro Aécio Neves, deverão surgir em 2014, e a menos que o governo Dilma seja sensacional, seu carisma e apelo político e popular não serão suficientes para uma reeleição. E assim, só a volta de Lula será suficiente para prolongar o governo do PT por mais 4 anos.

O maior partido da oposição detêm o comando de Minas e SP

Quanto aos governadores, dos 9 eleitos nesse segundo turno, 5 são da base aliada, mas apenas 1 do PT, já as outras 4 cadeiras ficaram nas mãos do PSDB, principal partido da oposição. Assim, ao todo, a base aliada detêm 15 Estados e distrito federal, dividos em: 6 do PSB, 5 do PMDB e 5 do PT. Já a oposição ficou com 11 Estados, divididos entre: 8 do PSDB, 2 do DEM e 1 do PMN. Com certeza esse é um problema para a futura presidente, a relação com os Estados governados pelo PSDB não será fácil, já que o partido da oposição governa a maior e a terceira maior economia do país, São Paulo e Minas Gerais, respectivamente.

Resta esperar para ver como será o próximo governo. Será que realmente haverá continuidade? Ou será que Dilma não conseguirá resistir ao primeiro escândalo? Difícil de prever, mas interessante para saber. Esperemos.

 

 

Nos vemos em 2014?

 

Linkpédia

 

TSE – Tribunal Superior Eleitoral

Apuração dos votos (2º turno) – UOL

Apuração dos votos (2º turno) – G1

Anúncios

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: