60 Anos de Guerra!

Enquanto a menina de ouro da imprensa nacional é a guerra ao tráfico aqui no Rio, a iminência da volta de uma guerra na península coreana abala a opinião pública internacional e nos coloca a refletir sobre o futuro diplomático na região e o seu reflexo no resto do Mundo.

A tensão, que já era grande, ficou ainda maior na península depois do ataque Norte coreano a ilha de Yeonpyeong situada no Mar Amarelo, tradicional região de tensões entre os dois países. Mas parece que agora, a situação colabora para um desfecho diferente do esperado.A Guerra começou em 1950, quando a Coreia do Norte, – socialista e sob influência Soviética – no meio da madrugada, invadiu Seul quase dominando a península inteira, até a chega das tropas dos EUA, que além de devolverem o comando do país e de sua capital ainda avançaram, anexando todo o território norte coreano. Foi nesse momento que a China entrou em combate com seus soldados e “empurrou” de volta as tropas americanas, retirando-as da área da Coreia do Norte e invadindo novamente Seul. Foi em 1953 que a China recuou e tudo voltou ao que era antes do começo da guerra, cada país com seu território inicial Ou seja, a guerra terminou do mesmo jeito que começou.

Mas o interessante é que não houve acordo de paz, oficialmente aconteceu um cessar fogo que dura até hoje. E nesse período de tempo, os dois países tomaram rumos bem diferentes, o Norte continuou socialista e com um regime ditatorial bem rígido, investindo pesadamente em desenvolvimento bélico e militar. Com o fim da URSS, suas relações que já eram mais próximas com a China se tornaram ainda mais estreitas.

O vizinho do Sul tomou caminhos totalmente diferentes: saiu da guerra com indicativos africanos e entrou no século XXI com o mesmo padrão de vida de alguns países europeus, tudo devido a uma intervenção estatal na economia e um pesada investimento na área de educação, saúde e bem estar da população. Contudo também continuou com relações bem próximas aos EUA, mesmo depois do fim da Guerra Fria.

Muitas especulações surgiram quanto aos motivos que levaram a Coréia do Norte a atacar a do Sul, e na verdade eles pouco importam. O mais importante é tentar compreender as razões que levariam os países a terminar, ou não, o cessão fogo da década de 50.

A estreita relação da Coreia do Sul com os norte americanos, que se encontram em um período economicamente ruim pode ser um indício de que as coisas podem esquentar. Afinal de contas, todos sabemos que é quando entra em uma guerra que os EUA mais lucram. Apesar de que com as tropas no Iraque e Afeganistão, as forças norte americanas estariam suficientemente enfraquecidas para uma incursão militar na Coreia do Norte, que com certeza não é tão fácil quanto as que vem realizado desde o final da última década do século passado.

Já o lado Norte coreano está menos suscetível a uma guerra dessas proporções, por mais insano que isso pareça, eles não entrariam em uma guerra dessa proporção sem o apoio da China, que não vê grandes ganhos com esse embate, tal confronto só serviria para espantar investimentos estrangeiros, o que seria severamente danoso a economia chinesa.

As movimentações dos últimos dias apontam para uma ofensiva do lado norte americano, mas com certeza uma guerra dessas proporções seria difícil de ser sustentada pelo povo dos EUA, que já está cansado de guerras sem sentido.

Enquanto isso, o resto do mundo se mostrou contra o embate, desde a União Europeia, a Rússia e o próprio Brasil. Ou seja, a sede de sangue dos Sul coreanos está sendo alimentada pelo Tio Sam. Será que isso se converterá na volta de uma Guerra que já dura 60 anos?!

O mundo espera que a Guerra não volte, afinal de contas, a Coreia do Norte tem Armas nucleares. O que não é legal

 

 

Linkpédia:

Coreia do Norte dispara contra ilha sul-coreana, mata dois e fere ao menos 15
Após bombardeio, Coreia do Norte diz que região está à beira da guerra
Alemanha convoca o embaixador da Coreia do Norte depois do bombardeio
Após ataque a ilha, EUA e Coreia do Sul anunciam manobras militares
Coreia do Norte acusa Sul de levar região ‘à beira da guerra’
Guerra entre Coreias é pouco provável, dizem analista
Porta-aviões dos EUA com 6.000 tripulantes dirige-se à Coreia do Sul
Korea crisis: How will China respond?

Anúncios

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: